“A ultima aparição de Deus evocada pela mão do homem”.

Frase de Germain René Michel Bazin (historiador de arte francês) sobre a obra de Antônio Francisco Lisboa, “O aleijadinho”: entalhador, escultor e arquiteto, considerado a expressão máxima do barroco mineiro. É em Congonhas que vamos encontrar um dos trabalhos mais importantes do artista, o conjunto de 66 esculturas esculpidas em madeira (Passos da Paixão) e doze esculpidas em pedra sabão  (Os Doze Profetas)  no Santuário de Bom Jesus de Matosinhos. Tendo como base econômica a extração mineral e a indústria metalúrgica, a cidade é mais conhecida pelas peregrinações religiosas e principalmente pelo turismo em visitação a sua arquitetura colonial, as obras do “aleijadinho e suas igrejas. Vale conferir a delicadeza do artesanato local, réplicas dos profetas, bolsas em palha, bonecas, licores e cachaças mineiras. Tivemos o privilégio de sermos recepcionados pela Marli da loja de artesanato ao lado da Basílica de Bom Jesus do Matosinhos, que nos contagiou com alegria, bom humor e um sorriso encantador.

Publicidade